Bodas Urbanas
















Não troco meu ninho
Pelo voo livre sem destino
Não troco meus dias rotineiros
Pelas aventuras de desfiladeiros


Não vou namorar seus pudores
Não vou me associar a seus rancores
Prefiro o amar despretensioso no ócio
Quero o ponto do teu negócio


Não me cercas com teu ódio
O que te enciumas pelo pódio
Prefiro os muros culturais da cidade
Do que uma falsa e perigosa liberdade


Não me quero num amor livre
Sem regras do que me prive
Quero o de sempre que conheço
Quero um nome e endereço.



Henrique Rodrigues Soares – Horas de Silêncio
Julho/Agosto 2015


Postar um comentário

Apelo

Porque não vens agora, que te quero E adias esta urgência? Prometes-me o futuro e eu desespero O futuro é o d...