Palavras de Amor


Esqueçamos as palavras, as palavras:
As ternas, caprichosas, violentas,
As suaves de mel, as obscenas,
As de febre, as famintas e sedentas.

Deixemos que o silêncio dê sentido
Ao pulsar do meu sangue no teu ventre:
Que a palavra ou discurso poderia
Dizer amor na língua da semente?


José Saramago, em "Provavelmente alegria". Lisboa: Editorial Caminho, 1985.
Postar um comentário

A Paz

A paz invadiu o meu coração De repente, me encheu de paz Como se o vento de um tufão Arrancasse meus p...