Ao meu Primogênito




































Ao te pegar nos braços
Um sorriso rico aconteceu
Ao ver em ti meus traços
Que o Divino me concedeu

Lágrimas deslizaram em meu rosto
Palavras não cabiam, vozes calaram.
Um novo aroma, um novo gosto,
Por toda vida me dominaram.

Se dizem que parece comigo
Não sei? Não me preocupo!
Minha lei, que me ocupo.
Ver nos teus espelhos o Amigo
Que para ti sempre serei.


Henrique Rodrigues Soares – Horas de Silêncio
Para Fernando Henrique Moura Soares 27/06/2015.


Postar um comentário

Coqueiral

A saudade é um batimento que rebenta assim vinte e oito vezes desde meu ombro tatuado de desastre até à rosa pendur...