Cenário





















Quis-te inerte
a galopar na brisa
do inverno que me paralisa


Dei-te amor,
acima das fadigas,
tormentas e sortilégios,
incansável como o sol das manhãs
silenciando o cenário da tua ausência


Tive teu olhar
na pureza do azul e branco
limitando a resistência da alma
fazendo do meu mundo
esta grande magia


Tuas palavras chegaram
como tempestades,
instigando sons inteiriços
fustigando o destino que falece


Conceição Bentes
Postar um comentário

Satélite

Fim de tarde. No céu plúmbeo A Lua baça Paira Muito cosmograficamente Satélite. Desmetaforizada, Desmitificada, Despojada do ...