Viúva























Refeita, vou aquietar-me
Chega de querer colo
Isso agita

O coração aguenta
Sofrer muito
Ou a humanidade não existiria

Vou prender meus cabelos num coque
Com todos os meus fios prata
E vou cozinhar para netos
Receitas que os distraiam
Do que eu sei.


Adriane Garcia, poema que fecha o livro O nome do mundo (ed. Armazém da Cultura)
Postar um comentário

A instabilidade das cousas do mundo

Nasce o sol e não dura mais que um dia. Depois da luz, se segue a noite escura, Em tristes somb...