Amar-te...
















Amar-te, é escrever-te.

Amar-te é deixar que me toques até ser teu,

até que te deites no meu corpo e adormeças

inteira dentro de mim.

Peço-te. Não pises as violetas que trago no olhar.

Cheiram a ti. São para ti.

Um "bouquet" de palavras que floriram

neste tempo de amor.


Joaquim Pessoa
Postar um comentário

Declaração de bens de família

Cadeiras e sofás, consolo e jarra, camas e bules, redes e bacias, a caixa de charão, o guard...