Noturno























Somos metáforas
Tão blindadas
quanto as palavras
nos escondendo
sob poemas

Fora, habitamos os gritos
constantes
de guerra ou dor

Quase seríamos nada
não fosse alguma erupção
o deslizar das horas
acendendo a pele
Um beijo na boca -

como se o arcanjo
sobre o telhado
nos garantisse
para sempre
esta noite


Alberto Bresciani
Postar um comentário

Visita

O poeta esteve aqui Disse-me que viu sorrir Meus olhos em suas mãos... Como mente este poeta Com sua...