Somos todos Olímpicos















Somos todos assim
Extremamente dramáticos
Ensurdamente simpáticos
E lutamos até o fim

Nascemos numa competição
Por um prato de comida
Recebemos e vencemos números
Que nos registram por toda vida

Não nos deram ensino
Não tivemos treinamento
Não nos deram patrocínio
Não tivemos acompanhamento

Ganhar é lutar pela vida
Sem apoio ou fomento
Perder é uma batida
Que dançamos com conhecimento

Somos todos assim
Resistentes a tudo
Que tenta nos derrubar
Somos todos assim
Consistentes e ininterruptos
Diante do que nos vão tirar

Torcemos e nos contorcemos
Somos atletas de uma realidade
Todos os dias mais no falta do que temos
E acordamos na clandestinidade

Mas não vamos parar
Diante dos obstáculos e adversários
Temos recordes para quebrar
Como vencemos nossos aniversários

Como heróis do Olimpo
Escreveram-nos canções
E somos de barro batido
No ritmo do aboio e rincões



Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos
Postar um comentário

Visita

O poeta esteve aqui Disse-me que viu sorrir Meus olhos em suas mãos... Como mente este poeta Com sua...