Ressurgências



















Gorjeia o pássaro na manhã,
e com o seu acalanto encanta
o mais próximo dos pecadores;
canta sua natureza sem culpas
neste império de mistérios e dores.

Quem o ouve olha em volta
e o busca na imensidão dos tempos:
cede o instante de perduração
e a memória em triunfo
torna a morte uma crise inútil.

Em vão é o pensamento -
o pássaro na manhã evade-se.


Rosalvo Acioli Júnior, em "Inventário de cinzas". Rio de Janeiro: Editora Íbis Libris, 2014.
Postar um comentário

Horizontes

Pai não adianta as botas Se tiraste minhas pernas Num mundo de cotas Transformo-me em percentual Meus sonhos...