Os Aprendizes












Aos que serão, que sejam
Aos que terão, que tenham
Aos que vão, que voem
Aos que virão, que venham


Que teus caminhos sejam como seus sonhos
Que cada noite recebida seja como ganho
Que teus sorrisos sejam como o sol
Que precisa nascer todas as manhãs


Tudo que temos, tudo que somos
Uma sacola de vontade e sonhos
Tudo que queremos, tudo que seremos
Vai até onde nós nos propomos


Os segredos guardados
Que sejam libertados
Os aprendizes fardados
Que se tornem mestres


O carinho do abraço doado
Como a palavra dita não volta atrás
O conhecimento apropriado
Não se perderá jamais


Que cresçam como as flores
Que voem como condores
Não bebam o vinho dos impostores
Não desistam como desertores


Que teus dias possam ser duradouros
Os ensinos absorvidos um ancoradouro
Para mapear os rostos desconhecidos
Para abrir as portas trancadas


Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos

18/11/2015
Postar um comentário

Visita

O poeta esteve aqui Disse-me que viu sorrir Meus olhos em suas mãos... Como mente este poeta Com sua...