DESEJO DESMEDIDO






















Todo querer vem de golfadas de paixão
de alguém que está aprendendo
ou quiçá em desespero
que sabe que não sabe
e ousa
e usa isso como expressão

Tudo que eu quero muito
dito dessa forma
metafórica, poética, imprecisa
sem sentido
verborrágica
ou ainda sem palavras

Tudo que eu quero tanto
Desejos que eclodem dos olhos
Gatilhos que quebram expectativas
Transitam no conflito
Centelha
pra habitar todas as fronteiras

Só o desejo não é pouco
Nunca houve tanto acesso
Somos tão Renascentistas
com desejos desmedidos

Tudo que eu quero mundo!


Alan Salgueiro
Postar um comentário

Fábula de Arquiteto

A arquitetura como construir portas, de abrir; ou como construir o aberto; construir, não como ilhar e prender, nem ...