Rosa de Outono






















No outono, em abril, nascem flores.
No outono, em abril, todos os anos.
Tu desabrochas, e como amo,
O teu perfume, como teu riso,
Enleia os dias com as tuas cores.
Enche meu paladar de sabores.


Nas nossas calientas diferenças
Vou até teu encontro e te amo.
Em suas apaixonadas interferências
Vejo a garra dos teus cuidados
O zelo espontâneo que demonstra
Sou mais do que feliz ao teu lado.


Minha doce pele morena
Que elogios tu merece?
Se na vida comigo contracenas
Se ao mesmo Deus fazemos preces.


Frutos recebi do que cultivamos
Juntos, e escrevemos páginas
Com letras ternas e amantes.
Encontramos e lapidamos
Juntos, no profundo da magna
Lindos e originais diamantes.




Henrique Rodrigues Soares – Canibais Urbanos
Postar um comentário