rosto de barro















mãos invisíveis tramam
num áspero ritmo
o duro rosto de barro

em desacordo com o espelho
o rosto se reconhece e se dissolve
outras faces nascem

atravessando o mudo reflexo
uma imagem cansada parte

e sobre a desalmada terra
incidem mil disfarces em pedaços


Carlos Orfeu
Postar um comentário