Herança





















Eu vim de infinitos caminhos,
e os meus sonhos choveram lúcido pranto
pelo chão.


Quando é que frutifica, nos caminhos infinitos,
essa vida, que era tão viva, tão fecunda,
porque vinha de um coração?


E os que vierem depois, pelos caminhos infinitos,
do pranto que caiu dos meus olhos passados,
que experiência, ou consolo, ou prêmio alcançarão?


Cecília Meireles
Postar um comentário

A instabilidade das cousas do mundo

Nasce o sol e não dura mais que um dia. Depois da luz, se segue a noite escura, Em tristes somb...