Perder sem se perder























Foram-se, os amores que tive;


ou me tiveram.
Partiram.
Num cortejo silencioso e iluminado.
A solidão me ensina a não acreditar na morte,
nem demais na vida:
cultivo segredos num jardim,
onde estamos eu,
os sonhos idos,
os velhos amores e os seus recados,
e os olhos deles que ainda brilham,
como pedras de cor entre as raízes.


Lya Luft
Postar um comentário

Canção amiga

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos...