Infinito interior...





















trago dentro de mim um mar imenso
feito de vagas tristes
e sonhos vagos


o horizonte é uma manhã
que eu quis minha para ser eu


e para porto de abrigo escolhi uma tarde
que soubesse chorar a morte do sol


José Rui Teixeira
Postar um comentário

Poética

Alguma palavra, este cavalo que me vestia como um cetro, algum vômito tardio modela o verso. Certa forma ...