Eu vi

















Quando eu cheguei na boca
Da baía banguela
E vi o cheiro
Dos peixes mortos
Eu anunciei o fim da vida
Enquanto um enorme
Gafanhoto
Parado no ar procurava
O autor da bala perdida
Encontrada no corpo do
Pequenino
Vendedor de biscoito de
Polvilho
Tudo isso eu vi
E cheirei
E uma placa dizia
Linha Vermelha em letras
Pretas
Uma multidão se ajuntava
Na praia
Onde fungos descontrolados
Comiam células
Sob a bola de fogo
Chorei
Porque poetas não ficam em riste
Feito os profetas
E tombam ante o fim do mundo
E choram.
.
Adriane Garcia
Postar um comentário