Morte silenciosa















A noite cedeu-nos o instinto
para o fundo de nós
imigrou a ave a inquietação


Serve-nos a vida
mas não nos chega:
somos resina
de um tronco golpeado
para a luz nos abrimos
nos lábios
dessa incurável ferida


Na suprema felicidade
existe uma morte silenciada


Mia Couto
Postar um comentário

Apelo

Porque não vens agora, que te quero E adias esta urgência? Prometes-me o futuro e eu desespero O futuro é o d...