Morte silenciosa















A noite cedeu-nos o instinto
para o fundo de nós
imigrou a ave a inquietação


Serve-nos a vida
mas não nos chega:
somos resina
de um tronco golpeado
para a luz nos abrimos
nos lábios
dessa incurável ferida


Na suprema felicidade
existe uma morte silenciada


Mia Couto
Postar um comentário

Poética

Alguma palavra, este cavalo que me vestia como um cetro, algum vômito tardio modela o verso. Certa forma ...