Soneto de Saudade















Em minh’alma chove tanto
que não há como esconder
entre os olhos tanto pranto
que meu pranto faz chover...


Por encanto ou desencanto
em minh’alma é anoitecer
com saudade do teu canto
no encanto do amanhecer...


Num jardim sem claridade
mora em mim tua saudade
com o meu modo de viver...


E a saudade não consegue
esquecer que me persegue
para eu nunca te esquecer...


Afonso Estebanez
Postar um comentário

Visita

O poeta esteve aqui Disse-me que viu sorrir Meus olhos em suas mãos... Como mente este poeta Com sua...